Adbox

giovedì 28 novembre 2013


Per chi non lo sapesse il Black Friday è il venerdì successivo al Giorno del Ringraziamento che segna l’inizio ufficiale dello shopping natalizio e durante il quale le aziende, le catene di franchising o anche i singoli negozi offrono i loro prodotti a prezzi molto scontati (per sole 24 ore) per invogliare le persone a dare il via ai regali di Natale. È una tradizione tipicamente americana e il Brasile, grande amante di tutto ciò che é "Made in USA", non poteva stare indietro a questo evento, ma con una grande differenza: siccome qui la regola generale è fregare il prossimo le varie catene di negozi ma anche le piccole "lojas", qualche giorno primo di questo "venerdì nero", aumentano magicamente i prezzi dei vari prodotti. In questo modo il povero boccalone pensa di aver fatto un grande affare, mentre invece ha pagato il prodotto allo normale prezzo di vendita. 

Questo tipico atteggiamento commerciale é noto a molte persone (forse ai brasiliani un po' meno, visto le file che fanno per acquistare a prezzo "ridotto"). Tant'é vero che la rivista americana Forbes ha dedicato proprio un articolo sul Black Friday brasiliano, definendolo, con giusta ragione, Black Fraude. Nell'articolo si legge:

... Questo è molto diverso dagli Stati Uniti, ovviamente, dove i consumatori sono più consapevoli dei loro diritti, e addirittura tendono ad abusare di loro. Il Brasile non è una società litigiosa. Se vieni calpestato, sorridi e sopporti.
... L'anno scorso, molti brasiliani sono andati nei negozi che promettevano sconti fino al 70%, solo per poi scoprire che gli sconti erano molto più bassi, o erano legati ad altre offerte. Alcuni negozi hanno aumentato i prezzi alcune settimane prima del Black Friday, solo per abbassarli alla data effettiva, al fine di dare ai consumatori un senso che i prezzi fossero scesi precipitosamente. 

Per fortuna non tutti hanno le "fette di salame sugli occhi" e Reclame Aqui o il Procon possono aiutare gli ignari consumatori. Anche il quotidiano Estadão sta facendo una campagna contro questa frode. Nel suo Blog si legge:

A inauguração oficial da Black Friday será na madrugada desta sexta-feira, mas na internet já aparecem reclamações sobre o evento. A consumidora Maria Conceição Santos registrou uma queixa no site Reclame Aqui. Segundo ela, há lojas aumentando os preços antes do dia oficial das ofertas.
“A maquiagem já começou. Passei esta semana avaliando preços de geladeira e máquina de lavar pratos. O Ponto Frio tinha a geladeira da Brastemp em promoção no valor de R$ 2014, no dia seguinte aumentou para R$ 2141 e hoje estava acima de R$ 2200. Minha pergunta para essas lojas é: qual é o verdadeiro Black Friday? Se querem copiar Estados Unidos, o façam verdadeiramente e não com maquiagem.”
O consumidor Carlos França Leão também reclama no Facebook: “Estou acompanhando o valor do Motorola Moto G Colors de 16GB, pois estou na expectativa que o mesmo caia de preço na Black Friday! Percebi que o site Submarino já aumentou o preço do mesmo, que era de R$ 703,12, para R$ 899. O Walmart também alterou de R$ 703,12 para R$ 799 e as Lojas Americanas, de R$ 703,12 para R$ 759,05. Está é o preço à vista hoje pago no boleto. Espero que a empresa no dia 29/11/2013 não retorne para o preço anterior pois aí não haverá desconto algum. Fique ligado pois essa Black Friday pode ser lorota, enganando e iludindo nós consumidores com descontos não existentes.”
“Olha o absurdo: estou monitorando o preço de um celular no Submarino que quero comprar, mas vou esperar até sexta-feira pela ‘Black Friday’ para ver se tem algum desconto. Ontem o celular Motorola Razr HD estava R$ 879 à vista no site Submarino e hoje de manhã qual não é minha surpresa: o mesmo celular está por R$ 1275 à vista!!!”
“A ouvidoria do Submarino entrou em contato comigo alegando que o produto no qual dei print não vai entrar na Black Friday e que eles negociam descontos com o fabricante dos produtos e por isso o preço oscila. Até aí ok, mas então por que o ‘preço real’ do produto mudou também? No primeiro print estava ‘De R$ 998 por xxx’ e no segundo print está ‘De R$ 1699 por xxx’. Entendo os descontos oscilarem por dia, mas quer dizer que o valor do produto altera dependendo do dia também?”, pergunta a consumidora.
O leitor Francisco Ferreira também deixou sua queixa no Facebook do Estadão: “A TV Sony KDL-60R555A na Americanas.com estava no começo da semana R$ 5.400. Hoje já está por R$7.000″, comenta. A Americanas novamente afirmou que o produto não fará parte das promoções da Black Friday- que terão uma marcação específica.
Já a leitora Ana Carol Canabarra relata que o Walmart aumentou há cerca de três dias o preço da máquina de lavar e secar de 8,5 kg prata da LG. “De R$ 2.400 passou para R$ 2.900, destoando do mercado. Detalhe: Eles têm, geralmente, um preço competitivo”.
Daniela Lago Miranda, por sua vez, relatou também no facebook do Estadão que está em busca de um jogo para o videogame Wii. “Ontem pesquisei nas Lojas Americanas e ele custava R$ 269, hoje estava por R$ 329″

A titolo di cronaca, in Italia il Black Friday non é ancora di moda. Solo alcuni negozi, come la Apple, Amazon e Mediaworld offrono sconti (contenuti) solo per per questo giorno. Forse perché siamo meno consumatori di altri, o forse perché le mode americane a noi non é che interessano molto. Rimane il fatto che questo venerdì é un'occasione per poter risparmiare qualcosa, stando però ben attenti a quello che compriamo.
Continue reading


Non ho nessuno problema con gli omosessuali. Penso che ognuno di noi sia libero di avere i propri gusti personali e le proprie idee, in ogni ambito. E trovo giusto combattere ogni forma di discriminazione verso qualcosa che possa sembrare "diverso" agli occhi di qualcuno. Però a volte si esagera, e qui in Brasile si esagera spesso.

“A senadora Marta Suplicy (PT-SP) elogiou a Proposta de Emenda Constitucional (PEC), elaborada pela Comissão Especial de Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que quer ampliar privilégios a indivíduos viciados em práticas homossexuais. O texto tem a pretensão de introduzir na Constituição todas as decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) que favoreceram a agenda gay, inclusive a garantia de união estável para duplas homossexuais, com direito à conversão em casamento e adoção de crianças.

De acordo com a agência de notícias do Senado, “a PEC tem como um de seus principais ponto a criminalização da homofobia e estabelece a pena de dois a cinco anos de reclusão para aqueles que praticarem atos de discriminação e preconceito em virtude da orientação sexual de alguém. A mesma punição se estende aos que incitarem o ódio ou prega rem [contra a] orientação sexual ou identidade de gênero”.

Com a aprovação da PEC, a própria Constituição do Brasil se transformará num PLC 122. Mas Suplicy reconhece que a tentativa de transformar a Constituição do Brasil numa constituição anti-“homofobia” certamente enfrentará resistência de “setores como o da igreja”. A senadora acredita que, estrategicamente, será importante aprovar primeiro o PLC 122/2006, pois sua tramitação está mais avançada, tendo já sido aprovado sorrateiramente na Câmara dos Deputados e restando apenas a votação no Senado. O segundo passo, na avaliação de Marta, é apresentar a PEC, que é uma matéria mais ampla e complexa. “A PEC é bem mais difícil de aprovar. Então, vamos começar com a homofobia e avaliar o momento adequado para fazer uma PEC com essa amplitude, que é realmente o sonho que nós gostaríamos para todo o País”, explicou a senadora à agência do Senado.

O Estatuto da Diversidade Sexual conta com 109 artigos, que alteram 132 dispositivos legais. O Estatuto criminaliza a fobia, reconhece o direito à livre orientação sexual e iguala os direitos fundamentais entre heterossexuais e LGBTs.

Eis alguns dos “avanços” que o Estatuto da Diversidade Sexual propõe:

Legitimação da PEDOFILIA e outras anormalidades sexuais:

Título III, Art. 5º § 1º – É indevida a ingerência estatal, familiar ou social para coibir alguém de viver a plenitude de suas relações afetivas e sexuais.

Sob essa lei, a família nada poderá fazer para inibir um problema sexual nos filhos. A sociedade nada poderá fazer. E autoridades governamentais que ainda restarem com um mínimo de bom senso estarão igualmente impedidas de “interferir”.

Retirar o termo PAI E MÃE dos documentos:

Título VI, Art. 32 – Nos registros de nascimento e em todos os demais documentos identificatórios, tais como carteira de identidade, título de eleitor, passaporte, carteira de habilitação, não haverá menção às expressões “pai” e “mãe”, que devem ser substituídas por “filiação”. Essa lei visa beneficiar diretamente os ajuntamentos homossexuais desfigurados tratados como família. Para que as crianças se acostumem com “papai e papai” ou “mamãe e mamãe”, é preciso eliminar da mente delas o normal: “papai e mamãe”.

Começar aos 14 anos os preparativos para a cirurgia de mudança de sexo aos 18 anos (pode começar com hormônios sexuais para preparar o corpo):

Título VII, Art. 37 – Havendo indicação terapêutica por equipe médica e multidisciplinar de hormonoterapia e de procedimentos complementares não-cirúrgicos, a adequação à identidade de gênero poderá iniciar-se a partir dos 14 anos de idade.

Título VII, Art. 38 – As cirurgias de redesignação sexual podem ser realizadas somente a partir dos 18 anos de idade.

Cirurgias de mudança de sexo nos hospitais particulares e no SUS:

Título VII, Art. 35 – É assegurado acesso aos procedimentos médicos, cirúrgicos e psicológicos destinados à adequação do sexo morfológico à identidade de gênero.

Parágrafo único R 11; É garantida a realização dos procedimentos de hormonoterapia e transgenitalização particular ou pelo Sistema Único de Saúde – SUS.

Uso de banheiros e vestiários de acordo com a sua opção sexual do dia: (?)

Título VII, Art. 45 – Em todos os espaços públicos e abertos ao público é assegurado o uso das dependências e instalações correspondentes à identidade de gênero. Não é permitido deixar de ser homossexual com ajuda de profissionais nem por vontade própria: Titulo VII, Art. 53 – É proibido o oferecimento de tratamento de reversão da orientação sexual ou identidade de gênero, bem como fazer promessas de cura.

O Kit Gay será desnecessário, pois será dever do professor sempre abordar a diversidade sexual e consequentemente estimular a prática:

Título X, Art. 60 – Os profissionais da educação têm o dever de abordar as questões de gênero e sexualidade sob a ótica da diversidade sexual, visando superar toda forma de discriminação, fazendo uso de material didático e metodologias que proponham a eliminação da homofobia e do preconceito.

Contos infantis que apresentem casais heterossexuais devem ser banidos se também não apresentarem duplas homossexuais travestidas de “casais:

Título X, Art. 61 – Os estabelecimentos de ensino devem adotar materiais didáticos que não reforcem a discriminação com base na orientação sexual ou identidade de gênero.

As escolas não podem incentivar a comemoração do Dia dos Pais e das Mães:

Título X, Art. 62 – Ao programarem atividades escolares referentes a datas comemorativas, as escolas devem atentar à multiplicidade de formações familiares, de modo a evitar qualquer constrangimento dos alunos filhos de famílias homoafetivas.

Cotas nos concursos públicos para homossexuais assim como já existem para negros no RJ, MS e PR e cotas em empresas privadas com já existe para deficientes físicos:

Título XI, Art. 73 – A administração pública assegurará igualdade de oportunidades no mercado de trabalho a travestis e transexuais, transgêneros e intersexuais, atentando ao princípio da proporcionalidade.

Parágrafo único – Serão criados mecanismos de incentivo a à adoção de medidas similares nas empresas e organizações privadas.

Casos de pedofilia homossexual irão correr em segredo de justiça:

Título XIII, Art. 80 – As demandas que tenham por objeto os direitos decorrentes da orientação sexual ou identidade de gênero devem tramitar em segredo de justiça.

Censura a piadas sobre gays:

Título XIV, Art. 93 – Os meios de comunicação não podem fazer qualquer referência de caráter preconceituoso ou discriminatório em face da orientação sexual ou identidade de gênero.

“O Estatuto da Diversidade Sexual é um avanço. Isso nunca havia sido pensado em relação às questões LGBT”, reconheceu Marta Suplicy, classificando-o como de importância “inquestionável”.

O Estatuto defende que o Estado é obrigado a investir dinheiro público para homossexuais que querem caros procedimentos de reprodução assistida por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) e também o Estado é obrigado a criar delegacias especializadas para o atendimento de denúncias por preconceito sexual contra homossexuais, atendimento privado para exames durante o alistamento militar e assegura a visita íntima em presídios para homossexuais e lésbicas.

Obs: non ho capito la questione sulla legittimazione della pedofilia. Ho cercato informazioni in rete ma non ho trovato niente che potesse spiegare meglio questo concetto, quindi se qualcuno avesse notizie in merito sarei grato se potesse delucidarmi. Alcuni di questi punti li trovo ridicoli, come eliminare i termini di "padre" e "madre" nei documenti, eliminare la festa del papà e della mamma, eliminare racconti con coppie eterosessuali, ecc. Sul fatto che il SUS possa fare operazioni per cambiare sesso la trovo una buona idea: non tutti hanno i soldi per fare una chirurgia plastica di questo tipo. Ma con tutti i problemi che ha il Sistema Unico di Salute quest'idea mi fa ridere. Sinceramente trovo queste cose un'esagerazione. Penso che il Brasile abbia bisogno di cose più importanti che una modifica sulle leggi degli omosessuali. Ma d'altronde il Brasile é famoso anche per questo e forse é giusto dare importanza e difendere una delle "cose" più esportate di questo paese.
Continue reading

venerdì 22 novembre 2013


Tipico esempio di educazione scolastica brasiliana. Ecco quello che si apprende nelle scuole pubbliche del Brasile. È ovvio che non tutte sono così, però questo fa pensare molto sui valori che danno e che ricevono i giovani brasiliani.









Continue reading

lunedì 18 novembre 2013


FÁBIO PORCHAT - O Estado de S.Paulo
Aeroporto é um lugar de onde podemos tirar vários exemplos de quem é o brasileiro de verdade. Por mais que esteja acontecendo uma classecelização da passagem aérea (que bom!), o que torna esse ambiente agora cheio de marinheiros (voadores) de primeira viagem, quem eu vejo dar escândalo no balcão das companhias aéreas são sempre aqueles que já estão acostumados a viajar, que conhecem bem o esquema.
Estava em Florianópolis essa semana, sendo atendido tranquilamente pelo atendente, quando um cara ao meu lado começou a dar o seu escândalo. Um à parte: eu adoro ver pessoas alteradas aos berros dando piti, essas estão num tal estado bruto do sentimento que não tem mais filtros e se mostram como são lá dentro de verdade. E é divertidíssimo. Claro que pra mim e não pro coitado do atendente da TAM que estava sendo acuado.
O cara, transtornado, dizia que o voo dele era às 10h30 e que ainda eram 10h10 e o avião ainda não tinha saído. Que era um absurdo o pessoal não dar um jeitinho de colocá-lo pra dentro. O atendente tentava explicar que o voo estava encerrado, mas era interrompido por gritos de: "Você não está com boa vontade! Acordou de mau humor e resolveu descontar nos clientes. Isso é Brasil".
O que ele não conseguia ver é que, na verdade, se o atendente o tivesse colocado dentro do avião, aí sim é que seria Brasil. Desrespeitar as regras, dar um jeitinho, fazer todo um avião esperar um cara que estava atrasado e errado embarcar, isso é que é Brasil. Se o horário de embarque é meia hora antes, então é meia hora antes, não é vinte minutos antes. Ponto.
A gente gosta de bradar aos quatro cantos que lá na Europa sim as pessoas são bem tratadas, que nos EUA o atendimento é diferente, mas, quando a aplicação da regra tem que valer pra gente aqui, reclamamos. O brasileiro gosta é do jeitinho brasileiro. É o que o coloca no patamar de malandro. E se eu sou malandro, alguém é otário. Aí sim eu vejo vantagem. Contanto que esse otário não seja eu. Alguém tem que se ferrar pra eu me sentir melhor. Se seguir as normas me faz fazer o papel de otário, eu não quero. A malandragem fala mais alto.
Eu duvido que se esse cara que estava alterado tivesse chegado atrasado no aeroporto de Munique, ia dar aquele chilique. Claro que não. Porque lá as coisas funcionam, lá é primeiro mundo, lá... Lá, ele teria saído do hotel duas horas antes, justamente pra não atrasar porque sabia que, se atrasasse, perderia o voo e não teria choro nem vela.
Não estou aqui querendo fazer uma defesa das companhias aéreas, pelo amor de Deus. Longe de mim. Elas realmente têm milhões de problemas, e muitas vezes tratam muito mal seus clientes. Mas a gente também trata muito mal as pessoas quando elas não nos deixam fazer o papel de malandro. Não adianta querer que nos tratem como na Alemanha se nós ainda somos brasileiros. E brasileiros no sentido mais pejorativo e preconceituoso da palavra "brasileiros".
*
PS: No final ele foi embora aos gritos de: "O comandante Rolim vai saber disso!". Hahaha! Gênio!
FONTE: ESTADÃO
Continue reading

mercoledì 13 novembre 2013


Penso che ogni italiano conosca le qualità dell'olio d'oliva e che sabbia dargli il giusto valore a tavola. E ogni italiano sa anche che, per essere riconosciuto come tale, l'olio d'oliva extra vergine deve possedere determinate caratteristiche. L'Italia è il secondo produttore in Europa e nel mondo di olio di oliva con una produzione nazionale media di oltre 464.000 tonnellate, due terzi dei quali extravergine e con ben 41 denominazioni DOP e un IGP riconosciute dall'Unione europea. Quindi per noi italiani l'olio d'oliva è importante. Per questo bisogna avere molta attenzione quando si va al supermercato, specialmente fuori dall'Italia.

L'Associazione dei Consumatori qui in Brasile ha fatto un test con 19 oli d'oliva extra vergine che si trovano comunemente sugli scaffali, e il risultato è stato a dir poco disastroso. Quattro di questi oli non possono nemmeno essere considerati oli d'oliva, anche se sull'etichetta c'è scritto "azeite de oliva extravirgem", visto che dal risultato risultano un misto di oli vari raffinati; sette di questi non sono extravergine ma solo vergini; otto per fortuna risultano positivi. 

De 19 marcas de azeite extravirgem testadas, quatro sequer podem ser consideradas azeite
Associação de Consumidores testou 19 marcas de azeite extravirgem e constatou que quatro (Figueira da Foz, Tradição, Quinta d’Aldeia e Vila Real) não podem nem ser consideradas azeites, e sim uma mistura de óleos refinados.

Menos da metade dos produtos avaliados, apenas oito, apresentam qualidade de extravirgem. São eles: Olivas do Sul, Carrefour, Cardeal, Cocinero, Andorinha, La Violetera, Vila Flor, Qualitá.

Os outros sete (Borges, Carbonell, Beirão, Gallo, La Espanhola, Pramesa e Serrata) são apenas virgens. Dos quatro testes que a entidade já realizou com esse produto, este foi o com o maior número de fraudes contra o consumidor.

As propriedades antioxidantes do azeite de oliva são o principal atrativo do produto, devido ao efeito benéfico à saúde. Mas para que o azeite mantenha suas características, é importante que ele não seja misturado a outras substâncias. Os quatro produtos declassificados pela entidade são, na verdade, uma mistura de óleos refinados, com adição de outros óleos e gorduras. Em diversos parâmetros de análise, essas marcas apresentaram valores que não estão de acordo com a legislação vigente. Os testes realizados indicaram que os produtos não só apresentam falta de qualidade, como também apontaram a adição de óleos de sementes de oleaginosas, o que caracteriza a fraude.

Outros sete não chegam a cometer fraude como esses, mas também não podem ser vendidos como extravirgens. A entidade ressalta que o consumidor paga mais caro, acreditando estar comprando o melhor tipo de azeite e leva para casa um produto de qualidade inferior.

É considerado fraude o produto vendido fora das especificações estabelecidas por lei. Para as análises, foram considerados parâmetros físico-químicos para detectar possíveis adulterações: espectrofotometria (presença de óleos refinados); quantidade de ceras, estigmastadieno, eritrodiol e uvaol (adição de óleos obtidos por extração com solventes); composição em ácidos graxos e esteróis (adição e identificação de outros óleos e gorduras); isômeros transoleicos, translinoleicos, translinolênicos e ECN42 (adição de outras gorduras vegetais).

A entidade vai notificar o Ministério Público, a Anvisa e o Ministério da Agricultura, exigindo fiscalização mais eficiente. Nos três testes anteriores foram detectados problemas. Em 2002, foram avaliados os virgens tradicionais e foi encontrada fraude. Em 2007, a situação se repetiu com os extravirgens. Em 2009, uma marca que dizia ser extravirgem não correspondia à classificação. Para a Proteste, isso demonstra que os fabricantes ainda não são alvos da fiscalização necessária.

A reportagem procurou os quatro fabricantes dos óleos desclassificados. A importadora do óleo Quinta d’Aldeia não possuía porta-voz imediatamente disponível para comentar o assunto. As outras três marcas não tiveram representantes localizados.
Fonte: Jornal Pequeno
Continue reading

mercoledì 6 novembre 2013


In Brasile esistono situazioni in cui sembra di vivere in un villaggio del centro Africa, ma ne esistono altre in cui fanno apparire i paesi più moderni e sviluppati come ancora nel Medioevo (o quasi). È di ieri la notizia che nello Stato di Minas Gerais le prostitute potranno accettare le carte di credito o di debito per i loro servizi, con tanto di "parcelamento da fatura". Quindi ora chi vorrà avvalersi delle gioie di tali professioniste, non dovrà più preoccuparsi di non avere soldi in tasca, e se vorrà stare più tempo con qualche gentile donzella ora potrà rilassarsi per bene, dato che in ogni caso potrà usare la propria carta di credito (con la speranza che la propria moglie non legga la fattura nei dettagli). Quindi quando qualcuno afferma che il Brasile non è pronto per ricevere la Coppa del Mondo e le future Olimpiadi si sbaglia. Credetemi, io trovo fantastico questo paese. Qui succedono delle cose come in nessun altro luogo. E poi mi chiedono perché non vado via!

Prostitutas poderão receber programa com cartões de débito e crédito em Minas

A CEF (Caixa Econômica Federal) firmou convênio com a Associação de Prostitutas de Minas Gerais e, reconhecendo essas profissionais como autônomas, irá permitir que elas possam receber pelos programas por meio de cartão de débito e crédito. Os programas, inclusive, poderão ter seus pagamentos parcelados.
Segundo a presidente da Associação de Prostitutas, Maria Aparecida Vieira, a Cida, 46, 20 garotas de programas de Belo Horizonte já abriram conta na CEF e devem receber as máquinas para debitar e creditar os valores dos programas ainda neste mês.
"Para ter acesso aos benefícios, as meninas precisam fornecer documentos básicos, como carteira de identidade e comprovante de endereço à associação. Depois do cadastro, as meninas são orientadas a abrir conta corrente na Caixa. Pelo acordo, travestis e transexuais, filiados, podem também participar", afirmou a presidente. Cida Vieira afirma que o convênio foi feito em outubro, mas divulgado somente nesta terça-feira (5).
A assessoria da Caixa informou que, com o convênio, as prostitutas e travestis que fazem programas remunerados, terão o mesmo tratamento de outras categorias de autônomos.
Além da possibilidade de receber por meio de cartão, as prostitutas terão também cobertura de previdência social, aposentadoria por idade e invalidez, auxílio doença, salário maternidade, pensão por morte, auxílio reclusão, custo zero para formalização, imposto zero para o governo federal e talões de cheque, cheque especial e dinheiro para capital de giro.
"Com os benefícios ficará mais fácil receber dos clientes, além de ajudar, e muito, na questão da segurança. Sempre andamos com dinheiro e isso facilita a ação dos assaltantes", diz.
"Podendo pagar com cartão, o cliente que quer estender o programa mas está sem dinheiro, vai poder ficar com a menina por mais tempo sem nenhum transtorno. Com isso, o número de programas e o lucro das prostitutas devem aumentar", afirma Cida Vieira.

Fonte: UOL

Continue reading

lunedì 4 novembre 2013


Per quelli che pensano che il Brasile sia un paese poco violento.
Per quelli che dicono "a me non è mai successo niente".
Per quelli che affermano che il Brasile è come l'Italia.
Per quelli che mi accusano di essere troppo critico e di esagerare.
Per quelli che credono che questi siano solo statistiche.
Per quelli che non hanno paura di nascondere la verità.

Se os números da economia formal brasileira mostram sinais de desaceleração, o submundo do crime permanece pujante. É o que mostram os dados da criminalidade enviados pelas Secretarias de Segurança das 27 unidades da federação para o Anuário Estatístico do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). No ano passado, os homicídios no Brasil cresceram 7,6% em relação a 2011.
Os dados completos do Anuário, encomendados pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), vão ser apresentados na terça-feira. O Estado obteve com exclusividade os números dos crimes e da situação do sistema carcerário.
O total de assassinatos é o maior da série histórica desde 2008. Houve 50.108 casos no Brasil em 2012, incluindo homicídios dolosos (47.136), assaltos seguidos de morte (1.810) e lesão corporal seguida de morte (1.162). O País registrou taxa de 25,8 homicídios por 100 mil habitantes. E São Paulo puxou o índice para cima (veja ao lado).
Os Estados do Norte e Nordeste seguem liderando o ranking de homicídios no Brasil. Alagoas, com 61,8 casos por 100 mil habitantes, apesar de estar no primeiro lugar no ranking, registrou redução de 14%. Pará subiu para a segunda colocação, com 44 por 100 mil, seguido por Ceará (42,5), Bahia (40,7) e Sergipe (40).
"O padrão de homicídios no Brasil é muito alto, assim como os outros crimes. Isso mostra como não conseguimos enfrentar o problema da criminalidade urbana. Mostra a necessidade urgente de reformas nas polícias, para melhorar as investigações e o policiamento ostensivo. É um assunto que precisa ser enfrentado com coragem ou o Brasil não vai conseguir reverter esse quadro", afirma o sociólogo Renato Sérgio de Lima, do FBSP.
Patrimônio. Os registros de crimes contra o patrimônio também são preocupantes. Os dados do anuário não permitem uma comparação com 2011. Mas, no ano passado, foram 566.793 casos de roubos, em que os ladrões levaram carros, atacaram bancos, cargas de caminhões, pedestres e casas. Em todo o território nacional, considerando só as ocorrências registradas nas delegacias, foram 1.574 casos de roubo por dia.
Mesmo no Norte e Nordeste há problemas de crimes contra o patrimônio. Amazonas desponta com 737 roubos de carros por 100 mil habitantes. Bahia fica em segundo lugar, com 435 por 100 mil.
A guerra contra os traficantes também revela a dimensão do comércio de entorpecentes. No ano passado, o Brasil registrou 122.921 ocorrências de tráfico, crescimento de 19% em relação ao ano anterior. Os estudiosos explicam que a apreensão de drogas mostra, sobretudo, a atuação policial no combate ao crime. A maioria dos casos foi registrada nos Estados de São Paulo (41.115) e Minas (24.272).
Encarceramento. As lacunas no sistema de segurança nacional, no entanto, ficam evidentes ao se comparar a situação brasileira com a de outros países do mundo. Ao mesmo tempo em que encarcera demais, não parece conseguir diminuir as taxas de criminalidade. Segundo os dados do Anuário, o Brasil tem atualmente 515.482 presos, o que o coloca em quarto lugar no ranking daqueles com maior população prisional do mundo. Fica atrás apenas de Estados Unidos (2.239.751), China (1.640.000) e Rússia (681.600).
Por outro lado, o Brasil fica em 7.º lugar entre os países mais violentos. As mais de 50 mil mortes por homicídios são duas vezes mais do que a média de baixas em um ano de guerra entre Rússia e Chechênia, por exemplo.
Fonte: Estadão

Continue reading

sabato 2 novembre 2013



E non poteva essere altrimenti!

A ganhadora do concurso de beleza transexual e travesti Miss Rainha Internacional 2013 foi a candidata brasileira, Marcela Ohio. O evento foi realizado no teatro Tiffany's Show de Pattaya, na Tailândia, nesta sexta-feira (1º).

Um total de 23 candidatas de 17 países participaram do concurso Narong Sangnak. 

 Um total de 23 concorrentes de 17 países participam do concurso cujo primeiro prêmio inclui US$ 10 mil (cerca de R$ 22 mil), uma cora com jóias autênticas e uma cirurgia estética em clínica de Bancoc. 

 Todas as competidoras nasceram do sexo masculino, e algumas optaram pela cirurgia de mudança de sexo. 

Veja fotos de algumas candidatas.






Continue reading