Adbox

giovedì 17 maggio 2012

W l’espresso!


Io l’ho già detto svariate volte ma mi piace ripeterlo spesso: da quando sono andato via dall’Italia sono diventato un agguerrito difensore e, nello stesso tempo, un fanatico sostenitore di tutto ciò di buono che l’Italia sa offrire. Ora di sicuro qualche imbecille, leggendo questo, mi dirà di tornarmene al mio Paese (con la P maiuscola). Ma a questo povero imbecille (ma dovrei dire QUESTI, dato che stanno circolando molti imbecilli ultimamente) non rispondo nemmeno. Quello che mi riempie di gioia è quando trovo uno straniero, in questo caso un brasiliano, che sa apprezzare e dare il giusto valore a quelle piccole cose che noi italiani già sappiamo e usiamo da tempo. In questo caso parlo del caffè. Buona lettura!
ESTÁ PROVADO: QUEM BEBE CAFÉ VIVE MAIS!
Após anos de investigações sem resultados definitivos sobre a relação entre café e a saúde e de que inclusive se temia que o café poderia elevar o risco de provocar doenças cardíacas, um novo estudo em grande escala descobriu justamente o contrário: os bebedores de café tendem a viver um pouco mais, não importando se consomem o café normal ou o descafeinado.

O estudo com 400.000 pessoas é o maior já efetuado sobre o tema, e os resultados devem tranquilizar os amantes da bebida aromática que até agora acreditavam que esse prazer poderia lhes acarretar algum mal.

"Nosso estudo indica que não é esse o caso", disse o líder dessa ampla pesquisa, Neal Freedman, do Instituto Nacional para o Câncer, dos Estados Unidos. "De fato poderia haver um modesto benefíco em beber café", salientou o especialista. Clique AQUI para ler a reportagem completa - en español
MEU COMENTÁRIO: Sou um fanático por café. Bebo por dia até quatro ou cinco espressos curtos. Mais ou menos na medida da chícara à direita da foto, mas nunca me preocupei se faz bem ou mal. Se faz bem, como atesta esse estudo, melhor. É claro que me sinto bem tomando café, porém tem de ser café espresso muito bem extraído por barista competente. Tem de ser café de qualidade, embora seja difícil encontrar grãos de primeira no Brasil. Não costumo tomar água suja.

O Brasil, embora sendo o maior produtor de café do mundo, não oferece no mercado interno os melhores cafés que produz. Tanto é que só há uns dez anos, por aí, é que começaram a aparecer cafeterias especializadas em cafés especiais. Mesmo assim, a iguaria top acaba sendo exportada. Isto acontece, principalmente, porque a maioria da população brasileira é de péssimo gosto e, normalmente, avarenta. As pessoas procuram sempre o café mais barato, seja no supermercado ou numa cafeteria. Tomam café de garrafa térmica, ignorando o fato de que o café, como todos os alimentos, mas especialmente essa bebida, têm vida curtíssima. Tem de ser consumido imediatamente, tanto o café espresso aquele feito tradicionalmente com o coador no bule.

Certas lendas idiotas acabam sendo propagadas facilmente. Uma delas diz respeito ao fato de que o café espresso seria muito forte, o que é um engano. Mais forte é o café de coador, já que a água permanece muito mais tempo em contato com o pó e a água acaba carregando muito mais moléculas de cafeína.

Extraído numa máquina de espresso bem regulada o tempo de extração obrigatoriamente tem de ser de 25 segundos. O resultado é que a água fica em contato com o pó na peneira da máquina apenas 25 segundos, e a bebida sai com menos cafeína.

Um café espresso bem tirado é macio e suave e não possui amargor, mesmo tomando-se ao natural sem adoçar.

Após sorver uma xícara, alguns minutos depois o bebedor sentirá o retrogosto, o que faz com que fique com um irrefreável desejo de tomar mais um!

Esses são alguns detalhes dos inúmeros que cercam a arte de extrair e beber um café espresso de alta qualidade.

A poderosa La Marzocco

Aqui em Florianópolis há uma cafeteria no Shopping Beiramar que é top de linha. Trata-se do La Padá Café, que fica ao lado do hall de entrada do cinema, no último piso. Normalmente oferece grãos de qualidade e os baristas são competentes. Operam uma La Marzocco com três grupos extratores, igual a da foto ao lado. Essa fabulosa máquina italiana é considerada a melhor máquina de café espresso do mundo. Na Europa se encontram muitas em operação, mas no Brasil são tão raras como um bom café.

O café que degustei na tarde desta quarta-feira no La Padá tinha textura semelhante àquela da fotografia acima. Crema densa e aveludada e aquele aroma e sabor característicos do café de qualidade e o imprescindível retrogosto. Tomei dois curtos! Sim, porque é o meu predileto, mais ou menos na altura da metade da xícara. É que a partir daí o que sai da máquina já é um café aguado.

Um apreciador de café espresso abomina o café ralo. Quando alguém pede um "carioca", já se sabe que não é um conhecedor de café, pois essa é uma bebida rala. Na verdade foi acrescentado água além da conta.

E, quando você for comprar café procure ver se o produto possui o sêlo da BSCA - Brazil Specialty Coffee Association. Se não tiver esse selo dificilmente será um café especial, embora possam haver exceções.

E para saber tudo sobre café recomendo que visitem também o site Coffee Traveler, editado pessoalmente pelo maior expert em café do Brasil, o Ensei Neto. Constatarão que vale a pena visitar o site
Show comments
Hide comments

5 commenti:

  1. Saudade.

    Ma credo che la Gaggia faccia buona concorrenza alla Marzocco, come altre marche famose in Italia.

    Ma questo post mi ha lasciato con l'acquolina in bocca. Il cappuccino caldo infernale con il cornetto ripieno di marmellata bollente, andavo in solluchero quando la marmllata era di ciliegie o di pesche (con i pezzetti di frutta).

    Solo per questo sarebbe d'obbligo un viaggetto in Italia.

    Franco questa volta sei stato veramente cattivo...

    RispondiElimina
  2. Un bar vicino a casa mia vendeva dei cornetti integrali al miele, oppure alla marmellata di frutti di bosco. Con un caffè schiumato erano la fine del mondo. Io me li sogno ancora alla notte!

    RispondiElimina
  3. Come vi capisco...! Quando torno da un viaggio all'estero la prima cosa che faccio cerco un bar e mi bevo un espresso cremoso, con la schiumetta e finalmente mi sento a casa. Rosanna

    RispondiElimina
  4. Quando lavoravo in Italia mi portavo sempre un thermos con del buon tè verde caldo. Era un grande aiuto nelle fredde giornate d'inverno visto che lavoravo sempre all'aperto. Anch'io amo molto il te e mi piacerebbe conoscere meglio le varie qualità.

    RispondiElimina
  5. L'ho provata e mi piace. Assomiglia molto, sia come sapore che come effetti, al tè. Però bisogna stare attenti, perchè sembra che in forti quantità sia cancerogena:

    "Sulle Ande è noto per gli effetti benefici contro il soroche, il mal di montagna. Il consumo di mate ha effetti diuretici; è lievemente eccitante, a causa del suo contenuto in caffeina, circa 1,20% (tale tenore nelle foglie giovani è più elevato, 2%, ma diminuisce durante la conservazione) [1]; tende anche a calmare l'appetito e dare senso di sazietà. Recenti studi hanno mostrato che il mate contiene quasi tutte le vitamine necessarie all'organismo umano e ne può soddisfare il fabbisogno giornaliero.[senza fonte]
    Per contro il consumo di questa bevanda è stato individuato come un fattore di rischio per i tumori dell'esofago e del cavo orale, la cui incidenza è alta nell'America Latina [2]. La causa di questo fenomeno è probabilmente da ricercare non nel mate in quanto tale, ma nell'abitudine di berlo bollente.[senza fonte]
    Il mate caldo è stato inserito dalla IARC nella lista dei probabili cancerogeni per l'uomo (categoria 2A). Non è tuttavia certo se l'effetto sia dovuto alla composizione dell'infuso o alla temperatura, dato che il rito del mate prevede assunzioni spesso rapide dell'infuso caldo. Dubbi dello stesso tipo vengono espressi, sempre dalla IARC, anche sul Tè."

    fonte: Wikipedia

    RispondiElimina