Adbox

giovedì 13 febbraio 2014

Pacientes são atendidos no chão


Ora voglio vedere chi sarà il primo imbecille a commentare quest'artico de "O Globo" affermando che "Anche in Italia la sanità fa schifo"!

Pacientes são atendidos no chão na emergência do Salgado Filho

  • Profissionais enviaram fotos denunciando situação precária do hospital ao Cremerj

RIO — Pacientes atendidos no chão e até na bancada dos armários. As cenas registradas por profissionais de saúde do Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, foram enviadas ao Conselho Regional de Medicina do Rio (Cremerj). As imagens feitas na sala vermelha da emergência, no último dia 03, segundo o presidente da entidade, Sidnei Ferreira, mostram um problema que tem sido frequente na unidade: a superlotação. Segundo Ferreira, a situação é agravada com a falta de recursos humanos. Para os médicos, a emergência deveria ser referenciada — fechar a porta de entrada — até que o deficit de pessoal seja suprido.

De acordo com um profissional de saúde, que pediu para não ser identificado, a sala vermelha da emergência — que recebe pessoas graves — tem capacidade para atender de 10 a 12 pacientes. No entanto, não é raro as vezes que o lugar abriga de 25 a 30 doentes. Segundo ele, os casos de pacientes deitados no chão são de pessoas que sofreram uma parada cardíaca ou estavam com a pressão muito baixa. Elas precisavam ser atendidas deitadas, mas não havia leitos disponíveis. Segundo os médicos, a emergência ficou ainda mais sobrecarregada após a desativação de 12 leitos de clínica médica pela falta de médicos, enfermeiros e auxiliares de enfermagem.

— Os atendimentos na bancada ou no chão não são pontuais. Eles já se tornaram rotina. A sensação é a pior possível. Os pacientes atendidos dessa maneira não têm a menor dignidade — contou o profissional de saúde.

Conforme o Cremerj, em alguns plantões, a emergência do hospital conta com apenas um clínico de plantão quando o ideal seriam seis. De acordo com Sidnei Ferreira, a emergência é o setor do hospital que mais preocupa devido à constante superlotação e às condições precárias de trabalho dos profissionais. O presidente do Cremerj ressaltou ainda que a situação já foi levada várias vezes à Secretaria municipal de Saúde, porém, nada foi feito. O órgão também denunciou os problemas para o Ministério Público Estadual e a Delegacia do Consumidor. O MP informou que já instaurou uma ação civil pública e um inquérito civil para investigar as deficiências de atendimento no Salgado Filho. 

— Os médicos não podem ser responsabilizados por esse descaso e a população merece um atendimento de qualidade. O Sistema de Regulação de Vagas do hospital não funciona e os profissionais fazem o que podem. Lugar de paciente não é no chão, mas quem está lá trabalha em condições indignas para salvar vidas — disse Ferreira lembrando que a situação flagrada nas fotografias já foi encontrada na unidade em fiscalizações: — A Secretaria municipal de Saúde é ciente desse quadro e não resolve nada.

Presidente do Sindicato dos Médicos do Rio, Jorge Darze, também tem conhecimento da maneira que pacientes são atendidos no Salgado Filho. Para ele, a realidade do hospital é de um ambiente “degradado” e “inadequado”. Darze também acredita que a unidade funciona acima do limite da sua capacidade:
— O que a prefeitura está fazendo é a flagrante violação da legislação brasileira. Esse atendimento é algo que fere a dignidade da pessoa humana.

A Secretaria municipal de Saúde informou que aguarda o encaminhamento das fotos feitas pelos profissionais de saúde no Salgado Filho para apurar o ocorrido e se pronunciar sobre o assunto. Em nota, a SMS explicou: “O Hospital Municipal Salgado Filho trabalha com política de portas abertas e todos os pacientes que procuram a unidade e são avaliados na classificação de risco como graves e recebem atendimento na emergência. Desta forma, em dias de maior demanda, pode funcionar em condições além das ideais.”

Sofre funcionar como emergência referenciada, a secretaria alegou que fechar as portas do setor significaria negar atendimento às pessoas que chegam espontaneamente à unidade em busca de socorro médico. “A Secretaria Municipal de Saúde não compactuará com uma medida arbitrária como essa, que prejudique a população.”

De acordo com o planejamento da secretaria, o Salgado Filho será o próximo a receber as melhorias já implantadas nas outras unidades da rede. Entre as ações desenvolvidas para melhorar o atendimento no local está a implantação do Programa de Atendimento Domiciliar ao Idoso. Com ele, os pacientes são atendidos em casa, evitando novas internações e desafogando os leitos da unidade. Além disso, segundo a SMS, uma Coordenação de Emergência Regional (CER), ao lado da unidade, estará em funcionamento ainda nesta gestão.



Show comments
Hide comments

3 commenti:

  1. Quest'idea che la donna brasiliana sogna la famiglia è bella che finita, le donne brasiliane aspirarono al posto da manager oppure ad una vita da single bella e buona, tanto che il numero di donne brasiliane senza figli aumenta esponenzialmente. E' tutto cambiato (e per fortuna)

    RispondiElimina
  2. Secondo me Trento senza ombra di dubbio, e poi Parma o Bologna (o altre città dell'Emilia Romagna) anche per la estrema simpatia dei romagnoli!!

    RispondiElimina
  3. Richardre Rossi5 febbraio 2017 01:11

    Bene, vedo che questo posto è molto vecchiotto. Sul web è possibile trovare molti post di natura simile con i medesimi giudizi o simili del tipo contenuti nel suddetto post: la ragazza brasiliana è estroversa, è facile da conquistare, ama fare sesso eccetera ..... Frutto di una leggenda metropolitana fatta sulla base di supposizioni e forse sulla conoscenza di giovani donne che vendono il loro corpo o semplicemente sono interessate al denaro( in America le chiamano "golden-diggers"). Ebbene sono tutte falsità. Io personalmente ho visitato anche una piccola città molto turistica e ho potuto vedere come le brasiliane nella sostanza non sono affatto diverse dalle italiane, anzi ho notato una tristezza e un comportamento molto antisociale con volti abbastanza scuri e non certo per la povertà, in quanto si trattava di ragazze serie e benestanti. Conosco anche gli abitanti di altre città. Ad esempio S.Paolo e Belo Horizonte. Sono stato anche in Salvador!. Discorso simile. Le ragazze non sono affatto estroverse e scordatevi di rimorchiare ragazze per strada o roba simile. Sono tutte fesserie.
    Le ragazze serie sono come in Italia ed in tutto il mondo molto difficili in tutti i sensi.
    Purtroppo la suddetta leggenda continua a circolare!
    Ho amici brasiliani e vi assicuro che un brasiliano al pari di un italiano fatica non poco per trovare una compagna!!!!
    Il discorso di donne interessate o escort non lo voglio affrontare, perché esula dalla condizione di un uomo e una donna che vogliono socializzare ed avere una relazione disinteressata amorosa o non amorosa.
    Spero di essere stato utile a chi ancora crede nelle favole!
    Saluti

    RispondiElimina