Adbox

giovedì 30 giugno 2016

Lula candidato 2018


Ditemi che é uno scherzo. Ditemi che non é possibile che una persona accusata di corruzione, lavaggio di denaro e altro non possa candidarsi per la presidenza di un paese. La domanda che tutti ci poniamo é: se hanno allontanato Dilma Rousseff per lo scandalo Petrobras perché Lula é ancora a piede libero? Se é vera questa notizia penso che il Brasile abbia raggiunto il massimo di idiozia. E di sicuro se si candiderá Lula riceverá molti voti a favore, forse anche vincerá le elezioni, perché qui la gente é matta e non capisce niente. Se poi aggiungiamo che le votazioni sono facili da imbrogliare non sarebbe una novitá vedere una sua vittoria. Mi dispiace, ma non ho nessuna fiducia in questo paese né tanto meno di questo popolo. Sono dei volta bandiera come mai ho visto e come sempre l'ignoranza la fa da padrone.

Em entrevista feita em Brasília para a revista francesa semanal "L'Express" divulgada nesta quarta-feira (29), Dilma Rousseff afirmou que Lula será candidato à Presidência em 2018. A informação é, inclusive, uma das chamadas da capa da publicação.

"É a razão principal do golpe de Estado: prevenir que o Lula se apresente à Presidência. Hoje em dia, apesar de todas as tentativas de destruir a sua imagem, Lula continua entre as pessoas mais amadas. Eu posso te dizer que ele vai se apresentar na próxima eleição", disse.

Questionada sobre como ela vê e espera a possível confirmação do afastamento no Senado, Dilma se disse profundamente injustiçada quanto à forma como "foi tirada do poder". Na entrevista, ela ainda disse que não cometeu crime de responsabilidade, mas que apenas aprovou quatro decretos para créditos suplementares a fim de financiar, principalmente, hospitais.

"Não sou o primeiro presidente a agir assim. O Fernando Henrique Cardoso aprovou 23 decretos similares. Na verdade, [a acusação] é apenas um pretexto."

No decorrer da entrevista, Dilma voltou a defender o PT, a falar que não sabia do esquema de corrupção na Petrobras e a criticar os grampos divulgados pelo juiz federal Sérgio Moro. "Não importa o país do mundo, divulgar o registro de uma conversa do chefe de Estado seria um crime."

Dilma ainda citou a queda de três ministros do governo interino por corrupção e que o momento político no Brasil "é grave".

Fonte: UOL

Nessun commento:

Posta un commento