Adbox

mercoledì 26 agosto 2015

Ecónomia maravilhosa?


Penso che stiamo per raggiungere tutti i limiti immaginabili. I limiti delle assurdità, dell'ipocrisia, dell'ignoranza e della stupidità. In una intervista radiofonica Dilma Rousseff ha dichiarato che non potrà garantire che il 2016 sarà un anno meraviglioso per il Brasile. Meraviglioso? Ma dove vive questa Dilma, sulla luna? Ma non si é resa conto che le cose qui in Brasile stanno peggiorando giorno per giorno? L'economia ha subito un crollo inestimabile e ormai é a un punto morto. Il PIL praticamente ha smesso di crescere. L'inflazione fa paura. L'indice dei prezzi al consumatore (IPC) attualmente é del 8,895%. Il cambio in Euro o Dollaro ha raggiunto valori storici. La disoccupazione é del 8,3%. Puó sembrare poco ma significa che piú di 8 milioni di brasiliani sono senza lavoro. Le industrie, specialmente quelle automobilistiche, hanno avuto un calo considerevole. E lasciamo perdere i vari scandali. corruzione e altro. E questa qui viene fuori con l'idea che il 2016 non sará meraviglioso? Assurdo! E ovviamente di chi é la colpa di tutto questo sfacelo? Della crisi internazionale! Ma va a cag.....!

A presidente Dilma Rousseff afirmou na manhã desta terça-feira (25) que não tem como garantir que a situação econômica no Brasil seja melhor em 2016. “Muito provavelmente não será.” Contudo, segundo a presidente, o governo federal está adotando medidas para garantir que o país volte a crescer. Com elas, afirma, ao menos não tem como “estarmos piores no futuro do que hoje”.
“Não tenho como garantir que a situação em 2016 será maravilhosa. Muito provavelmente não será. Mas também não será a dificuldade extrema que muitos pintam. Vamos continuar a ter dificuldades, até porque não sabemos como mercado internacional vai se comportar”, afirmou a presidente em entrevista por telefone a rádios de Araraquara e Catanduva, no interior de São Paulo de acordo com O Globo.
A afirmação foi feita um dia após a presidente dizer, em entrevista aos jornais O Globo, Folha de S.Paulo e O Estado de S.Paulo, que demorou a perceber a gravidade da crise econômica e isso foi um erro. Segundo Dilma, “talvez” fosse o caso de já ter tomado providências no ano passado para conter seus efeitos.
“Errei em ter demorado tanto para perceber que a situação era mais grave do que imaginávamos. Talvez, tivéssemos que ter começado a fazer uma inflexão antes. Não dava para saber ainda em agosto. Não tinha indício de uma coisa dessa envergadura. Talvez setembro, outubro, novembro”, afirmou de acordo com O Globo.

Fonte: Epoca 

Nessun commento:

Posta un commento