Adbox

mercoledì 15 maggio 2013

Ultime dalla Coppa

Fifa in allarme per il Mondiale 2014
«Stadi in ritardo, pronti a cambiare le sedi»

Il segretario generale della Fifa, Jerome Valcke, ha lanciato un ultimatum alle 12 città brasiliane che ospiteranno i Mondiali di calcio del 2014: «Se ci saranno ritardi nella consegna degli stadi - ha detto il dirigente -, potremmo decidere di cambiare sedi entro l'1 agosto prossimo, quando saranno messi in vendita i biglietti». Valcke, che ha visitato lo stadio Mané Garrincha di Brasilia, si è detto preoccupato per i ritardi di alcuni impianti, in particolare l'Arena Corinthians di San Paolo. Il segretario generale della Fifa ha detto che incontrerà i responsabili dello stadio paulista per conoscere la reale situazione dei lavori.

«Diciamo sempre che non è possibile accettare ritardi. Ho bisogno di tempo per verificare tutti gli impianti - ha spiegato Valcke -. La Coppa del mondo è un evento planetario, devono accelerare i lavori. Non è una minaccia, non stiamo pensando di cambiare le sedi: quello potrebbe accadere solo quando non c'è più niente da fare. Possiamo cambiare le sedi entro il primo agosto, quando saranno messi in vendita i biglietti. Gli stadi devono perciò essere consegnati in tempo». Le parole di Valcke hanno indispettito i dirigenti del Corinthians che, in una nota ufficiale, hanno detto di «non accettare pressioni». «Se vogliono toglierci la partita inaugurale della Coppa del mondo 2014, facciano pure», si legge ancora nel comunicato.


Podemos mudar tudo até 1º de agosto, diz Fifa sobre atrasos do Itaquerão

Embora tenha enfatizado que não estava fazendo uma ameaça, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, voltou a cobrar, em tom duro, o cumprimento de prazos para a entrega de estádios e disse que a entidade tem liberdade para alterar a tabela de jogos da Copa-2014 até o início de agosto, o que inclui excluir determinadas arenas. A cobrança foi dirigida ao Itaquerão, futuro estádio do Corinthians e palco de abertura da Copa-2014. A promessa de conclusão das obras é dezembro, prazo máximo dado pela Fifa.

"Haverá uma discussão com São Paulo, sobre o estádio. Nós vamos nos sentar e ver o que está acontecendo", disse Valcke, em entrevista coletiva após vistoria nas obras do estádio Mané Garrincha, em Brasília. "Não se esqueçam, e isso não é uma ameaça: nós podemos trocar tudo até o primeiro minuto da venda de ingressos [para a Copa-2014]. Então, nós podemos mudar toda a tabela de jogos até 1º de agosto". Depois, buscou deixar claro que "não estamos pensando em mudar cidades-sede". Conforme o secretário-geral da Fifa, "quando isso acontece é porque o COL (Comitê Organizador Local) não tem mais solução".

O Corinthians aguarda a confirmação de um acordo com a Caixa Econômica Federal para viabilizar a liberação de um empréstimo de R$ 400 milhões do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para a construção do estádio. A Caixa, conforme acordo que vem sendo costurado, entrará com as garantias que o Banco do Brasil não aceitou dar. Hoje, segundo informações oficiais, as obras do estádio estão com cerca de 75% de conclusão.

Fonte: Folha

Se quiserem mudar o local de abertura da Copa fiquem à vontade, diz Andres à Fifa

Logo após o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, fazer uma ameaça ao Itaquerão, o ex-presidente do Corinthians e responsável pelas obras da arena, Andres Sanchez, respondeu à Fifa e afirmou não se importar caso o novo estádio do clube fique fora da abertura da Copa do Mundo-2014.

Na nota, Andres, que fez o lobby para a abertura ser no futuro estádio corintiano, diz que o clube não aceita nenhum tipo de pressão e que o Itaquerão seria construído com capacidade para 48 mil pessoas. Porém, quando o local passou a ser requisitado para a Copa do Mundo, foi feito um remanejamento do projeto para 68 mil lugares. "Se entendem que devem mudar o local de abertura da Copa fiquem à vontade. O Corinthians só espera que Fifa e COL [Comitê Organizador Local] reconheçam o esforço da Prefeitura de São Paulo, do Governo do Estado de São Paulo, do governo federal e principalmente da população paulista", diz em nota publicada na página oficial do Corinthians.

Durante a visita ao estádio Mané Garrincha, em Brasília, Jérôme Valcke, cobrou, em tom duro, o cumprimento de prazos para a entrega de estádios e disse que a entidade tem liberdade para alterar a tabela de jogos da Copa-2014 até o início de agosto, o que inclui excluir determinadas arenas. "Haverá uma discussão com São Paulo, sobre o estádio. Nós vamos nos sentar e ver o que está acontecendo", disse Valcke. "Não se esqueçam, e isso não é uma ameaça: nós podemos trocar tudo até o primeiro minuto da venda de ingressos [para a Copa-2014]. Então, nós podemos mudar toda a tabela de jogos até 1º de agosto". Depois, buscou deixar claro que "não estamos pensando em mudar cidades-sede". Conforme o secretário-geral da Fifa, "quando isso acontece é porque o COL (Comitê Organizador Local) não tem mais solução".

O ex-presidente Andrés Sanchez e responsável pela obra do estádio do Sport Club Corinthians Paulista esclarece que: "O Corinthians começou as obras quase um ano depois dos demais estádios e, mesmo com todas as dificuldades do repasse financeiro do financiamento e com atrasos referentes ao CID (Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento), junto à construtora Odebrecht manteve o organograma da construção. Tanto é fato que já superou 76% da obra. Por tudo isso, gera estranheza ao clube a posição colocada nesta terça-feira (14) pelo Sr. Jérôme Valcke, sendo que ele mesmo deu o prazo até dezembro de 2013 para conclusão dos estádios. No caso do Corinthians, esse prazo foi estendido pelo próprio Valcke para fevereiro de 2014.

O clube não aceita nenhuma pressão porque é bom lembrar o que sempre disse: o estádio para os corintianos teria 48 mil e, quando o estádio passou a ser requisitado para a Copa do Mundo, foi feito um remanejamento do projeto para 68 mil lugares. O objetivo do Corinthians sempre foi, neste caso, servir a cidade, o estado e o país. Por isso, o clube aumentou a capacidade do estádio e não aceita nenhum tipo de pressão. Se entendem que devem mudar o local de abertura da Copa fiquem à vontade. O Corinthians só espera que FIFA e COL reconheçam o esforço da Prefeitura de São Paulo, do Governo do Estado de São Paulo, do Governo Federal e principalmente da população paulista."

Fonte: Folha

E la pagliacciata continua...
Show comments
Hide comments

3 commenti:

  1. Ciao Franco,
    mio padre, che vive a Fortaleza, mi racconta che, lo stadio é quasi pronto. Per quanto invece riguarda le infrastrutture, dubita che saranno pronte in tempo. Speriamo bene.
    Ciao, Yuri.

    RispondiElimina
  2. Ma si, e' tutto quasi pronto,anche una immensa figura di merda .

    RispondiElimina
  3. Spesi centinaia di milioni per fare stadi in posti (Brasilia,Cuiaba',Manaus) che,terminati i mondiali,rimarranno vuoti e senza manutenzione.
    Sulle infrastrutture poco e' stato fatto.
    Sullo stadio Itaquerao e l'atteggiamento ridicolo e arrogante di Sanchez meglio sorvolare.
    Stefano

    RispondiElimina